Instituto para o desenvolvimento sustentável

ARTIGOS


Foresight Development and Implementation Effectiveness: Lessons from the Brazilian Experience

Antônio Luís Aulicino IDS – Institute for Sustainable Development
Isak Kruglianskas - School of Economics, Business Administration and Accounting – FEA - USP

Presented in:
"Third International Seville Conference on Future-Oriented Technology Analysis (FTA): Impacts and implications for policy and decision-making"


Abstract
This paper presents the partial results of an empirical study conducted during the development of a Ph.D. thesis, using the case study approach. The research aimed at understanding how a large scale Foresight Study supported by the Brazilian Government was managed and conducted, and how effective this managerial approach was, where implementing the Study’s recommendations was concerned. To conduct the research, a model considering the relationship between the Foresight Study’s planning and implementation phases was designed.
The case study focuses on the Brazilian Program of Industrial Technological Prospective (Programa Brasileiro de Prospectiva Tecnológica Industrial) coordinated by the Department of Industrial Technology and the Department of Production Development of the Ministry of Development, Industry and Foreign Trade. The investigated Foresight Study is a pioneering effort in Brazil and comprises three finalized prospective studies (out of the four originally intended) involving the main Brazilian Productive Chains. Besides relying on published data, a lot of first-hand information was collected through interviews with the main players involved with the Foresight Study, such as the Program Coordinator and the Coordinators of each one of the three productive chains studied. Some of the important consultants that took part in the Foresight Study were also interviewed. One of this survey’s major findings was evidence of the importance of including the participation of all key stakeholders during all of the foresight study’s processes. In this paper, certain relevant suggestions and recommendations that represent lessons learned are provided for academicians and practitioners, to further the progress of knowledge about the management of prospective studies.


Inovação na Estrutura Turística

Antônio Luís Aulicino

Inovação Uniemp
ISSN 1808-2394 versión impresa
© 2008 Labjor/Uniemp


O artigo mostra que o processo de desenvolvimento de uma região turística ocorre quando há a integração por meio de rede (cluster) de empresários e da motivação desses prestadores de serviços das cidades que fazem parte dessa região, utilizando a cadeia produtiva dos serviços turísticos da Região Turística Costa das Baleias, localizada no extremo sul do Estado da Bahia, Brasil, contemplando os stakeholders.


Managerial Processes in Foresight Studies: Lessons from a Brazilian Case Study

Antônio Luís Aulicino
Isak Kruglianskas

9th International Conference on Technology Policy and Innovation “SCIENCE, SOCIETY AND SUSTAINABILITY”
Santorini, Greece, 18-21 June 2006


Abstract
To remain competitive, a country must systematically seek the development of its Science, Technology & Innovation (ST&I) capability, given worldwide globalization pressure. It needs to define priorities and to formulate ST&I policies. One of the tools that can further this objective is Technological Foresight, which can be used to plan and implement the actions that will promote country development in a sustainable and competitive way. The recommendations of Technological Foresights studies can be implemented through public policies and initiatives with the involvement of the stakeholders.
This paper presents the results of a case study research conducted to understand and learn from the experience of the “Brazilian Program of Industrial Technological Foresight” of the Bureau of Industrial Technology (BIT) together with the Bureau of Production Development (BPD) of Brazil’s Ministry of Development, Industry and Foreign Trade - MDIFT.
The research identified many critical aspects of the process of developing foresight studies and how these aspects influence the effectiveness of these types of prospective studies. There are many lessons to be learned from the managerial practices used in this pioneering initiative of the Brazilian government regarding its ability to aid the formulation of public policies that can effectively support and stimulate the development of sustainable science, technology and innovation for a sustainable development. The investigation’s findings are in line with current bibliography and make a relevant contribution to the advancement of knowledge in this field.


Gestão Participativa na Formulação de Estratégias e Políticas com Desenvolvimento Sustentável nas Unidades de Conservação do Instituto Florestal, SP

Cláudio Henrique Barbosa Monteiro INSTITUTO FLORESTAL
Antônio Orlando Freire Neto INSTITUTO FLORESTAL
Antônio Luis Aulicino IDS
Liége Mariel Petroni IDS

Publicado nos Anais do ENGEMA 2007


O sucesso das organizações depende de uma gestão efetiva. As Unidades de Conservação são organizações que têm como objetivo a conservação dos recursos naturais para as gerações atuais e futuras, contemplando todas as dimensões (econômica, social e ambiental) do desenvolvimento sustentável.
A Divisão de Florestas e Estações Experimentais – DFEE, do Instituto Florestal da Secretaria do Meio Ambiente do Governo do Estado de São Paulo, visando à gestão efetiva, realizou um processo participativo com o objetivo de analisar a situação estratégica das Unidades de Conservação sob sua administração.
A metodologia foi estruturada em 3 etapas: promover a sensibilização dos chefes dessas unidades de conservação a importância do desenvolvimento sustentável; apresentar os conceitos de análise da situação estratégica e de formulação de estratégias; e por meio da pesquisa-ação, os chefes dessas unidades realizaram as respectivas análises da situação estratégica, diagnosticando cada Unidade de Conservação.
Os resultados dessas análises estratégicas proporcionaram às Unidades de Conservação o seu diagnóstico estratégico e as formulações de estratégias, alinhando-se à estratégia da DFEE, que propiciou a definição de Políticas e Diretrizes para a Gestão das Unidades de Proteção Integral desta divisão.


Qualidade Total Ambiental: Estudo de Caso no Setor de Mineração

ANTÔNIO LUÍS AULICINO
ISAK KRUGLIANSKAS

Publicado nos Anais do ENGEMA 2003


Resumo

As organizações para administrarem seus negócios e serem competitivas dependem da escolha de estratégia e, na sua implementação, dependem do engajamento das pessoas. Para isso, utilizam teorias de motivação a fim de que as pessoas se comprometam com os resultados da organização, sejam participativas e assumam responsabilidades. Com isso, a organização estará mais preparada para se preocupar com a preservação do meio ambiente e mais apta a praticar a Gestão Ambiental.

O presente trabalho, à luz de conceitos teóricos , ilustra uma aplicação de Gestão da Qualidade Total Ambiental em uma empresa brasileira da indústria de mineração e os resultados obtidos, em razão da participação e do comprometimento das pessoas que lá trabalhavam. O estudo mostra como é possível obter sucesso por meio de trabalho contínuo de motivação e desenvolvimento de pessoas, contribuindo dessa forma para a melhoria continua da qualidade, seja do produto, do processo e de serviço, como da qualidade ambiental.


Foresight Tecnológico e a Formulação de Políticas Públicas

ANTÔNIO LUÍS AULICINO

NÚCLEO PGT USP
INOVA
GESTÃO & TECNOLOGIA
BOLETIM DO NÚCLEO DE POLÍTICA E GESTÃO TECNOLÓGICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
ANO XI - Nº 39 JULHO/AGOSTO/SETEMBRO DE 2004
Novas Idéias............págs 4 e 5



Cluster uma Estratégia de Desenvolvimento Turístico da Costa das Baleias – Bahia - Brasil

ANTÔNIO LUÍS AULICINO

Apresentado no X SEMEAD Seminários em Administração 2007 FEA-USP


Resumo

O turismo é um dos setores mais importantes em termos de desenvolvimento para alguns países, podendo em alguns casos garantir o crescimento econômico e social de uma determinada região, por meio da geração de empregos e distribuição de renda mais justa. Este estudo tem por objetivo mostrar que o processo de desenvolvimento de uma região turística ocorre quando há a integração por meio de rede (cluster) de empresários e da motivação desses prestadores de serviços das cidades que fazem parte dessa região, utilizando a cadeia produtiva dos serviços turísticos da Região Turística Costa das Baleias, localizada no extremo sul do Estado da Bahia, Brasil, contemplando os stakeholders. A metodologia adotada para a pesquisa é exploratória. Além da revisão bibliográfica, optou-se pela pesquisa-ação em razão do autor participar diretamente do desenvolvimento da região. Os resultados demonstram que o turismo sustentável ao contemplar a gestão participativa e as três dimensões: ambiental, sociocultural e econômica é possível desenvolver uma região turística contudo, percebeu-se problemas entre os participantes envolvidos, tais como vaidade, poder, desconfiança e a ambição.

Cluster a Strategy of Tourist Development of the Coast of the Whales - Bahia - Brazil

Abstract

The tourism is one of the sectors most important in terms of development for some countries, being able in some cases to guarantee the economic and social growth of one determined region, by means of the generation of jobs and distribution of income more joust. This study it has for objective to show that the process of development of a tourist region occurs when has the integration by means of cluster of entrepreneurs and the motivation of these entrepreneurs of the cities that are part of this region, using the productive chain of the tourist services of the Tourist Region Coast of the Whales, located in the south extremity of the State of the Bahia, Brazil, that contemplates stakeholders. The methodology adopted for the research is exploratory. Beyond bibliographical revision, was opted to the research-action in reason of the author to participate directly of the development of the region. The results demonstrate that the sustainable tourism when contemplating the participative management and the three dimensions: ambient, sociocultural and economic it is possible to develop a tourist region, but problems between the involved participants, such as vanity, power, diffidence and the ambition exist.


Centralização x Descentralização
Um estudo de caso na indústria de mineração

Antônio Luis Aulicino
Eduardo Pinheiro Gondin de Vasconcellos


RESUMO

O artigo apresenta o processo de descentralização de decisões sobre segurança, saúde e meio ambiente no trabalho em uma empresa do setor de mineração. Inicialmente é feita a abordagem teórica sobre o tema, mostrando o que vem a ser a descentralização como processo, alinhada à estratégia da empresa, a mportância da participação dos trabalhadores, a utilização do conceito empowerment e time. Em seguida, apresenta-se o estudo de caso na indústria de mineração, mostrando o trabalho da CIPA - Comissão Interna de Prevenção de cidentes que atende a legislação trabalhista e, depois, com a introdução da Comissão do Uso Seguro do mineral da qual somente os trabalhadores participam e os ganhos obtidos pela empresa e pelos trabalhadores.


A Sustentabilidade nas Organizações

Antônio Luís Aulicino - IDS - Instituto para o Desenvolvimento Sustentável

Publicado no IBEF NEWS Edição 142, abril de 2010


O artigo discorre sobre os conceitos de Desenvolvimento Sustentável e sobre Triple Bottom Line (TBL), nas organizações. Além dos riscos que podem ser atenuados, pela organização que utiliza os conceitos do Desenvolvimento Sustentável.


DIAGNÓSTICO E AÇÕES ESTRATÉGICAS PARTICIPATIVAS PARA APOIO AO PLANO PLURIANUAL DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL AGROPECUÁRIO DO MUNICÍPIO DE RIBEIRÃO BRANCO – SP

Antônio Luís Aulicino IDS – Instituto para o Desenvolvimento Sustentável

Artigo publicado no


RESUMO
O sucesso das organizações depende de uma gestão efetiva, que é o processo de planejar, organizar, dirigir e controlar os esforços das pessoas da organização e de utilizar todos os recursos organizacionais disponíveis para alcançar os objetivos fixados, sejam privadas ou públicas.
No caso de organizações públicas torna-se importante a elaboração do planejamento de forma participativa, em conjunto com os representantes da sociedade, para que haja a apropriação, tanto a aquisição do conhecimento e motivação, quanto ao comprometimento com as ações definidas, que serão implementadas.
Os municípios, do Estado de São Paulo, para obtenção de recursos, necessitam elaborar o Plano Municipal de Desenvolvimento Rural Agropecuário Plurianual Sustentável de 2010 a 2013, tem o objetivo de aproveitar a sinergia de ações para utilizar melhor as competências das pessoas e dos recursos financeiros.
Este artigo aborda a preparação, o diagnóstico e as ações estratégicas desse plano elaborado de maneira participativa, com a comunidade rural, pequenas e médias propriedades, representantes da comunidade do Município de Ribeirão Branco e representantes do governo. Além disso, apresenta a situação das ações propostas, depois de um ano de sua definição.
A metodologia foi estruturada em duas etapas: primeiro apresenta os conceitos de análise da situação estratégica, diagnóstico, formulação de estratégias e ações; e segundo, por meio da pesquisa-ação, os participantes realizaram a análise da situação estratégica, o diagnóstico e ações. Os resultados dessas análises estratégicas proporcionaram ao município, na área agropecuária o seu diagnóstico estratégico e a definição de ações estratégicas, propiciando a elaboração do Plano e definição de ações para a Gestão da Agropecuária do Município Ribeirão Branco, de forma participativa.


A Sustentabilidade nas Empresas

Antônio Luís Aulicino - IDS - Instituto para o Desenvolvimento Sustentável

Publicado na Revista Inforflexo Número 111, março - abril de 2011


O artigo discorre sobre os conceitos de Desenvolvimento Sustentável nas empresas, considera o tipo de gestão e mostra como os riscos que podem ser minimizados.


Implementation of Technology Parks for the Eradication of Poverty in Emerging Countries: A Brazilian case

Antônio Luís Aulicino IDS – Institute for Sustainable Development
Liége Mariel Petroni IDS – Institute for Sustainable Development

Artigo publicado nos Anais do


Abstract
The trend of establishing Technology Parks in developing countries is associated with the third generation, the economic process and technological development in emerging countries, which means to set up a Tech Park where there are already universities, industrial conglomerates and all the support and infrastructure.
In Brazil this is how the establishment of Tech Parks occurs - in developed cities that have universities, large enterprises, such as power plants, industrial complexes and resources. Thus, the tendency of poor municipalities is to disappear.
The article aims to show the importance of establishing Technology Parks in poor municipalities, using the Ribeirão Branco case, a poor region in the Southwest of the São Paulo state, identified during the prospective process. The bureaucratic procedure to establish a technology park in a poor municipality is the same as in rich ones. However, public policies should encourage and provide resources for Tech Parks in poor regions.


Processo Prospectivo contribui para o Desenvolvimento Sustentável do Município de Ribeirão Branco - SP

Antônio Luís Aulicino IDS – Instituto para o Desenvolvimento Sustentável
Liége Mariel Petroni Universidade Presbiteriana Mackenzie

Artigo publicado nos anais do


Resumo do artigo
A elaboração do planejamento de longo prazo, para regiões, municípios, estados e países, é necessária para definir onde se deseja chegar, caso contrário eles estarão sob as condições determinantes do ambiente.
A elaboração do processo prospectivo tem a finalidade de contribuir para o planejamento de longo prazo, construindo a visão estratégica do futuro compartilhada, para que haja a preparação das pessoas para enfrentá-lo, antecipando por meio de uma reflexão da situação passada, presente e possíveis futuros, para que seja elaborado um plano de ações ou formulação de políticas públicas.
O artigo objetiva demonstrar que a elaboração do processo prospectivo contribui para a construção da visão estratégica de longo prazo do desenvolvimento sustentável do Município de Ribeirão Branco, em São Paulo. A metodologia utilizada foi a pesquisa exploratória, a revisão bibliográfica e documental, além da a pesquisa-ação para este trabalho.
O processo prospectivo possibilitou mobilizar, sensibilizar e conscientizar a sociedade de Ribeirão Branco por meio da identificação de fatores motrizes e da elaboração do Plano de Ações para dezoito anos visando o desenvolvimento sustentável deste Município. Este processo culminou com a Carta de Compromisso assinada pelos diversos atores sociais, com o acompanhamento e a orientação do Ministério Público.


Inovação: O processo de implantação do Parque Tecnológico para o Desenvolvimento Sustentável da Região Sudoeste do Estado de São Paulo: o caso do Município de Ribeirão Branco

Antônio Luís Aulicino IDS – Instituto para o Desenvolvimento Sustentável e ITACER – Instituto de Tecnologia Assessoria Comunitária e Extensão Rural
Liége Mariel PetroniIDS – Instituto para o Desenvolvimento Sustentável e ITACER – Instituto de Tecnologia Assessoria Comunitária e Extensão Rural

Artigo publicado nos anais do


Resumo do artigo
A tendência de instalação dos Parques Tecnológicos em países emergentes está associada ao que foi denominada terceira geração e ao processo de desenvolvimento econômico e tecnológico de países emergentes, que significa ocorrer onde já existem universidades, conglomerados indústrias e todo o suporte e infra-estrutura para essa instalação.
No Brasil ocorre dessa forma, em municípios desenvolvidos, que possuem universidades, grandes empreendimentos, tais como: hidroelétricas, complexos indústrias e recursos.
O artigo tem como objetivo demonstrar a importância de implantação do Parque Tecnológico, no Brasil, no Município de Ribeirão Branco, Região Sudoeste do Estado de São Paulo. Este município está localizado em uma região empobrecida.
Na elaboração do planejamento de longo prazo deste município, por meio do processo prospectivo, foi identificada a necessidade de implantação de um Parque Tecnológico, sendo uma organização sem fins lucrativos que será responsável pela execução da maioria das ações estratégicas, e dentre estas ações estão políticas públicas formuladas, para o desenvolvimento sustentável do município e da região em que está situado, em conjunto com a Câmara Municipal, que foram aprovadas pela sociedade e terão a fiscalização e a assistência legal do Ministério Público.


As dificuldades de Implantação do Parque Tecnológico de Ribeirão Branco e a Apropriação da Sociedade numa Região Pobre do Sudoeste de São Paulo

Antônio Luís Aulicino
Liége Mariel Petroni

Artigo publicado nos Anais do


Os objetivos deste artigo são: a) mostrar o planejamento estratégico do Parque Tecnológico de Ribeirão Branco (PTRB), sua estrutura organizacional, projeto político pedagógico; e b) as dificuldades de implantação na região mais pobre do Estado de São Paulo, no Brasil.
Além da pesquisa exploratória, optou-se para este trabalho a pesquisa-ação.
O PTRB surgiu do Processo Prospectivo, com apropriação da sociedade, elaborado no Município de Ribeirão Branco, situado na Região Sudoeste Paulista, como sendo um dos fatores motrizes para o desenvolvimento sustentável do município e da Região.
O desenvolvimento do PTRB propiciará melhorar as atividades da Região, aproveitando melhor o setor de agropecuária e desenvolver outros setores, tais como: de mineração; o desenvolvimento da agroindústria, o aproveitamento da silvicultura e outras atividades, como ser o centro de desenvolvimento regional, utilizando o Processo Prospectivo Regional. Além disso, elaborar o ordenamento territorial, que propiciará a regularização fundiária; e desenvolver o setor de turismo, que não existe.
O PTRB é responsável pelas ações estratégicas que propiciarão o desenvolvimento da Região, tendo como horizonte o ano de 2030, para reduzir a emigração dos jovens com idade entre 20 e 40 anos, que vão procurar novas oportunidades em outras regiões.
Depois da criação do PTRB, as universidades aproximaram-se para desenvolver pesquisas, tais como: o Departamento da Geografia Humana da USP e a universidade, UNIFESP, que está desenvolvendo a pesquisa que objetiva de identificar as plantas medicinais, existentes na Região, e sua utilização, para desenvolver o Arranjo Produtivo Local (APL).
As limitações para implantação de Parques Tecnológicos são diversas, em regiões pobres, entre elas: 1) o Estado de São Paulo tem dificuldade de realizar a regularização fundiária, porém exige para participar do Sistema Paulista de Parques Tecnológicos, decreto 54.196, de 02/04/2009, que a entidade tenha uma área medindo no mínimo 200.000 m2, para instalação do Parque, com todo o projeto construtivo definido; 2) o Governo Federal, por meio do Ministério de Ciências, Tecnologia e Inovação exige para financiar o projeto construtivo, o licenciamento ambiental e o Plano de Negócios do Parque.
O desenvolvimento do PTRB impactará de maneira positiva na sociedade, gerando mais oportunidades de negócios e emprego, desenvolvendo o empreendedorismo, com isso a redução da emigração dos jovens para outras regiões.
A implantação do PTRB está ocorrendo na Região mais pobre de São Paulo.


Edição Especial, no. 10, de julho a dezembro de 2014, do Boletim Regional, Urbano e Ambiental do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA)

A edição especial, no. 10, de julho a dezembro de 2014, do Boletim Regional, Urbano e Ambiental está totalmente voltada para a apresentação de nove trabalhos desenvolvidos no âmbito dos Arranjos Produtivos Locais (APLs) espalhados pelo país, sob a coordenação do Grupo de Trabalho Permanente para APLs (GTP APL), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

Os 9 artigos deste boletim apresentam algumas experiências que estão sendo desenvolvidas em alguns dos estados, com auxílio e acompanhamento das instituições que compõem o GTP APL.


SUMÁRIO DOS ARTIGOS
APRESENTAÇÃO

INTRODUÇÃO: LIÇÕES DA TEORIA ECONÔMICA
Carlos Wagner de A. Oliveira

GTP APL: DEZ ANOS DE AVANÇOS E PERSPECTIVAS DE FUTURO
Ana Caroline Suzuki Bellucci
Fabiany Maria Made e Vellasco
Iedo Brito da Silva
Maria Cristina de A. C. Milani

POLÍTICAS PARA APLS: A EXPERIÊNCIA DO BNDES
Helena Maria Martins Lastres
Cristina Lemos
Walsey Magalhães
Marcelo Machado da Silva
Maria Lúcia Falcón
José Eduardo Pessoa

METODOLOGIA DE PROCESSOS PROSPECTIVOS APLICADA AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE APLS DE BASE MINERAL: EXPERIÊNCIA DO ARRANJO PRODUTIVO DE CERÂMICA VERMELHA DO NORTE GOIANO
Antônio Luís Aulicino
José Augusto Vieira Costa
Enir Sebastião Mendes
Elzivir Azevedo Guerra

O MODELO ZONA FRANCA E O DESENVOLVIMENTO DAS CADEIAS PRODUTIVAS DA AMAZÔNIA OCIDENTAL
Thomaz Medeiros Raposo Fagá
Douglas Silva Carota
Vitor Cesar Picanço Lopes

ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS: UMA POLÍTICA PÚBLICA DE DESENVOLVIMENTO – RS 2011-2014
Sérgio Kapron

INOVAÇÃO EM POLÍTICA PÚBLICA VISANDO AO DESENVOLVIMENTO REGIONAL EM GOIÁS: EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E INOVAÇÃO, JUNTAS NA PROMOÇÃO DOS ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS – INSTITUTOS TECNOLÓGICOS E COLÉGIOS TECNOLÓGICOS DE GOIÁS
Aline Figlioli
Mauro Faiad
Soraia Paranhos
Solange Botosso

UMA ANÁLISE SIMPLES DO ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE OVINOCAPRINOCULTURA NO SERTÃO ALAGOANO E O GEORREFERENCIAMENTO DAS UNIDADES PRODUTIVAS
Geanne Daniella Clementino da Silva
Ana Maria de Paula Santos

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO LOCAL EM SERGIPE: OS ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS (APLS)
Sudanês Barbosa Pereira
Magaiver Lima Santos Fontes Correia
Jussara Sant’Anna Alves

PROGRAMA ESTADUAL DE FOMENTO AOS ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS DO ESTADO DE SÃO PAULO
Juliana Arnaut de Santana
Dalton Siqueira Pitta Marques


MAPA ESTRATÉGICO E ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO PARQUE TECNOLÓGICO SUDOESTE PAULISTA

ANTÔNIO LUÍS AULICINO IDS - Instituto para o Desenvolvimento Sustentável
LIÉGE MARIEL PETRONI Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP

Palestra proferida no


RESUMO


O Parque Tecnológico Sudoeste Paulista (PTSP) surgiu do Processo Prospectivo, com apropriação da sociedade, elaborado no Município de Ribeirão Branco, situado na Região Sudoeste do Estado de São Paulo, como sendo um dos fatores motrizes para o desenvolvimento sustentável do município e de sua Região. O desenvolvimento do PTSP propiciará melhorar as atividades da Região, melhorando o setor de agropecuária e desenvolvendo outros setores, tais como: de mineração; o desenvolvimento da agroindústria, o aproveitamento da silvicultura e outras atividades. O PTSP é responsável pelas ações estratégicas que propiciarão o desenvolvimento da Região, tendo como horizonte o ano de 2030.

Este artigo objetiva mostrar o planejamento estratégico do Parque Tecnológico Sudoeste Paulista (PTSP), sua estrutura organizacional e seu projeto político pedagógico como processo de implantação na região mais pobre do Estado de São Paulo.

A metodologia contemplou a pesquisa exploratória e a pesquisa-ação.

O Desenvolvimento do PTSP impactará de maneira positiva na sociedade, gerando mais oportunidades de negócios e emprego, desenvolvendo o empreendedorismo, proporcionando a redução da emigração dos jovens para outras regiões.





Palavras-chave: Parque Tecnológico, Planejamento Estratégico, Processo Prospectivo


METODOLOGIA DE PROCESSOS PROSPECTIVOS APLICADA AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE APLS DE BASE MINERAL: EXPERIÊNCIA DO ARRANJO PRODUTIVO DE CERÂMICA VERMELHA DO NORTE GOIANO

Antônio Luís Aulicino - IDS
José Augusto Vieira Costa - MDTT - SGM - MME
Enir Sebastião Mendes - MDTT - SGM - MME
Elzivir Azevedo Guerra - MDTT - SGM - MME


O estudo das aglomerações produtivas, na forma de Arranjos Produtivos Locais (APLs), entrou na pauta de discussão de políticas públicas e privadas nas últimas décadas no Brasil, por influência de experiências bem sucedidas em alguns países e ainda pela importância interna alcançada a partir de bons resultados do desenvolvimento de capacitações produtivas e empresariais nesse tipo de organização territorial de produção.
O governo federal, por meio da Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação do Ministério de Minas e Energia – SGM/MME, Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – SETEC/MCTI e do Grupo de Trabalho Permanente para Arranjos Produtivos Locais do Ministério do Desenvolvimento, da Indústria e Comércio Exterior – GTP APL/MDIC, em parcerias com governos estaduais, instituições de PD&I e financeiras, Sistema S e entidades representativas de empresários e trabalhadores, nos últimos dez anos, tem colocado como uma de suas prioridades o desenvolvimento de metodologias para desenvolvimento da mineração em micro, pequena e média escala organizada em APLs.
Foram identificados e apoiados 98 APLs do setor mineral nos segmentos de minerais não metálicos: Agrominerais, Agregados para Construção Civil, Água Mineral, Calcário e Cal, Cerâmica Vermelha e de Revestimento, Gemas, Joias e Afins, Gesso, Minerais e Rochas de Pegmatitos, Rochas Ornamentais e Sal Marinho (Costa Jr e Guerra, 2005) (Oliveira et al., 2009).
A experiência recente da SETEC/MCTI, em conjunto com a SGM/MME, demonstra que a inserção de CT&I nas micro e pequenas empresas torna-se mais efetiva quando implementada em APLs. A sinergia provocada pela aglomeração de empresas da mesma cadeia produtiva leva à melhoria de processos produtivos, ganhos de competitividade e redução de custos, por meio da qualificação e capacitação das empresas, agregação de maior valor aos produtos, além das facilidades de acesso de créditos para empresas envolvidas no arranjo (Guerra e Vidal, 2009).
A SGM/MME, por meio do Departamento de Tecnologia e Transformação Mineral – DTTM, no cumprimento de sua competência de formulação e implantação de políticas públicas para apoiar o desenvolvimento dos segmentos de minerais não metálicos, detectou a necessidade de identificação e definição de uma metodologia de planejamento estratégico a médio e longo prazo objetivando o desenvolvimento sustentável de arranjos produtivos locais de base mineral.
Esta metodologia consiste na construção de um plano estratégico de desenvolvimento dos APLs e da estrutura de governança que permita capitalizar as competências existentes no local; promover o desenvolvimento por rede de cooperação para aprendizagem e inovação; e, possibilitar a soma de esforços para obtenção de melhoria da competitividade e das condições ambientais e de saúde e segurança do trabalho das empresas dos segmentos de minerais não metálicos. Adicionalmente, propicia as condições para o desenvolvimento local e a inclusão social e produtiva.
A SGM/MME identificou a metodologia do processo prospectivo (Godet, 2001) como sendo a que preencheria estas condições, exigências, orientações e objetivos propostos.
De acordo com Martin (2001), a prospectiva ou foresight é o processo que, sistematicamente, tenta prospectar o ambiente futuro de longo prazo, no que concerne às diversas dimensões: social, econômica, ambiental, demográfica, tecnológica, política, cultural, legal e segurança e defesa, para identificar tecnologias emergentes e áreas de pesquisas estratégicas, a fim de produzir benefícios econômicos e sociais.
Dessa maneira, a habilidade para construir uma visão estratégica do futuro pelos diversos agentes sociais, desenvolve-se em um processo composto de várias atividades, que é denominado processo prospectivo em alguns países e em outros é denominado processo foresight, que, segundo Martin (2001), é um estudo mental do futuro de longo prazo, em que participam várias pessoas, representando a sociedade.
Esse processo obtém resultado quando existe a apropriação dos diversos agentes sociais (stakeholders) envolvidos. Considera-se que a apropriação é (i) a aquisição de conhecimento, (ii) a motivação de ver juntos e o (iii) desenvolvimento do comprometimento, objetivando a construção da visão estratégica do futuro desejável, possível e/ou realizável. (Godet, 2001). No contexto de apropriação, há necessidade de sensibilizar e conscientizar as pessoas, sendo que sensibilizar é levar as pessoas a sentir como o processo prospectivo pode construir o futuro e como a pessoa participante pode contribuir nessa construção e conscientizar é proporcionar a pessoa tomar consciência da sua importância no processo prospectivo para construir o futuro.
A partir desta definição da metodologia a ser usada, a SGM/MME estabeleceu a necessidade de avaliar a sua aplicação na elaboração do planejamento estratégico e plano de ação para o desenvolvimento sustentável em um APL de base mineral, como um projeto piloto. Além disso, estabeleceu que no caso desta experiência ser bem sucedida, deverá ser replicada para os demais APLs de base mineral distribuídos em todo o território nacional. Como experiência de projeto piloto foi escolhido o Arranjo Produtivo de Cerâmica Vermelha do Norte Goiano - GO para aplicação da metodologia do processo prospectivo.
O presente artigo tem como objetivo descrever de modo sistematizado e resumido a metodologia de processos prospectivos aplicada ao planejamento estratégico de médio e longo prazo para o desenvolvimento sustentável de APLs de base mineral, definida pela SGM/MME como a mais adequada para alcançar este objetivo. Além disso, relatar a experiência de sua aplicação, como caso piloto, ao Arranjo Produtivo de Cerâmica Vermelha do Norte Goiano - GO e avaliar a possibilidade de sua replicação aos demais APLs de base mineral do Brasil.


imprimir

Facebook Linkedin Google+

IDS. A Consciência Constrói o Futuro

© 2005 - 2017 - IDS - Instituto para o Desenvolvimento Sustentável. Todos os direitos reservados Webdesign: Tortella Comunicação